Conheça mais sobre o setor do pescado no Paraná

Conheça mais sobre o setor do pescado no Paraná

25 de setembro de 2019

É impossível falar do setor de pescado no Brasil sem mencionar o Paraná. O estado é o líder na cadeia nacional de pescado de cultivo, tendo alcançado em 2018 a marca de 129,9 mil toneladas produzidas. Isso dá ao Paraná 29,3% da produção no País, à frente de São Paulo e Santa Catarina. 

A espécie de cativeiro com maior produção é a tilápia, que representa 80% do volume. Isso significa, também, que o Paraná é responsável pela produção de 32% das tilápias no Brasil, com cerca de 120 mil toneladas por ano. Além dela, carpa, jundiá, pacu e lambari são as espécies de cativeiro mais comuns no estado. A piscicultura de água doce está concentrada no Oeste do estado, principalmente nas regiões de Toledo e Cascavel, respondendo por 69% da produção paranaense. 


"É um segmento que está se transformando em excelente fonte de renda para os produtores. O Paraná é grande produtor de soja e milho, matérias-primas da ração, então temos condições de produzir carne de peixe de forma bastante competitiva", afirma Jonis Centenaro, gerente de comunicação da cooperativa C.Vale, uma das mais importantes do estado. 

Para 2019, há a expectativa de crescimento de 20% na produção de pescado no Paraná, com o volume total podendo atingir as 170 mil toneladas. Essa projeção, realizada pelo governo estadual, tem consonância com a avaliação da C.Vale, que também enxerga a possibilidade de expansão relevante. 

"Acredito que vai crescer muito em volume de produção. Com o aumento da oferta, a tendência é o pescado, principalmente, a carne de tilápia, se tornar um produto mais acessível ao consumidor", afirma Centenaro, apontando que o crescimento da produção tornará o pescado mais acessível para o consumo da população.

A C.Vale também avalia o setor do pescado como uma oportunidade de diversificação da produção, além de apontar outros pontos que podem fortalecê-lo nos próximos anos. "O Paraná tem os dois principais componentes para o sucesso de um negócio: vocação e matéria-prima. Parte dos produtores do estado tem uma característica natural de gostar de diversificar suas atividades, seja por necessidade econômica, seja por suas origens familiares. O outro fator é a existência de milho e soja em abundância para a produção de rações. Isso faz da piscicultura uma atividade rentável e competitiva", comenta.

Centenaro destaca, porém, que ainda há muito a melhorar e evoluir no setor, ainda em estágio inicial em comparações a outros que lideram a produção agroindustrial no Paraná. E ressalta a possibilidade real de incremento da produtividade com investimentos em tecnologia.

"É uma atividade ainda em fase de aprendizado se a gente comparar com soja e milho, por exemplo, em que se tem muitas décadas de experiência. Temos um longo caminho a percorrer em manejo e tecnologia. É um segmento que vai evoluir muito tecnologicamente nos próximos anos", comenta. 

NOTÍCIAS

 

 

Desenvolvido por Br3 comunicação.