Importação contribui para aumento do consumo de pescado no Brasil

Importação contribui para aumento do consumo de pescado no Brasil

19 de agosto de 2019

Com uma participação importante na importação do agronegócio brasileiro, o setor do pescado tem na chegada de fora do País dessa proteína um aliado fundamental para elevar o seu consumo. E essa necessidade de contar com o produto advindo da exportação advém das características das diferentes espécies, além da influência provocada pelo histórico de consumo nacional. 

Entre os pescados mais consumidos pelos brasileiros e que são tradicionalmente importados, salmão e bacalhau são aqueles que as condições climáticas específicas reforçam a necessidade de importação. 

"Inicialmente temos que observar que o pescado, mais especificamente o peixe, possui diversas espécies cuja produção e/ou pesca ocorre em condições naturais, geográficas e climáticas específicas, tal como ocorre com o salmão e bacalhau, os quais são provenientes de águas marítimas geladas", afirma David Veiga, chefe do departamento jurídico da Associação Brasileira de Fomento ao Pescado (ABRAPES).

Nesse sentido, a tradição de se levar à mesa o bacalhau durante a Quaresma e, especialmente, no período da Semana Santa permitiu a popularização do consumo do pescado. Para Veiga, no entanto, o salmão vem sendo ainda importante para incrementar o  consumo da proteína importada no país nos últimos anos.

"Embora acreditamos ter sido o bacalhau um dos precursores da popularização do peixe na mesa do brasileiro, acreditamos que nenhuma espécie fez para a popularização e aumento de consumo de peixe do que o Salmão. Há mais de dez anos, pelo menos, o salmão tem tomado a mesa do brasileiro por ser um peixe saboroso, de qualidade comprovada, tendo uma excelente cadeia de fornecimento e frequência, podendo ser consumido das mais variadas formas (de cru, cozido, assado, ensopado, dentre outras)", diz Veiga.

O especialista da ABRAPES enxerga a popularização dos chamados restaurantes de comida japonesa como um exemplo bem-sucedido que permitiu a elevação do consumo de pescados pelos brasileiros.

"O salmão também é um dos responsáveis pela popularização dos restaurantes japoneses, sendo que, para se ter uma variedade no cardápio, outras espécies passaram a ser adquiridas, fazendo com que toda a cadeia de pescado fosse popularizada e houvesse o aumento no consumo", acrescenta.

Se o bacalhau e o salmão desempenharam esse papel importante no aumento do consumo do pescado importado no Brasil, o preço mais elevados dessas proteínas dificulta a sua popularização. Mas o conhecimento sobre esse tipo de produto tornou natural o acesso a espécies mais baratas como  polaca, merluza, panga e cação, favorecendo toda a cadeia.

"O alto valor do produto por muito tempo limitou o consumo deste peixe. Atualmente podemos encontrar outros peixes salgados, em especial a polaca, que acaba compondo a mesa do brasileiro num preço muito mais acessível", explica Veiga.

Assim, a importação de pescado traz alguns benefícios ao consumidor sendo os principais o acesso a produtos de qualidade que não podem ser fornecidos pelos produtores locais e também com um custo mais acessível. A partir disso, o restante da cadeia também se beneficia pelo aumento do número de consumidores. 

"Importante ressaltar também que a popularização do consumo de pescado também traz grandes benefícios para a produção nacional, pois há o aumento do número de consumidores desta proteína, fomentando toda a produção (nacional e importado). Acreditamos que a produção local somente foi possível em virtude da popularização do pescado importado o qual colocou na mesa do consumidor esta proteína", conclui o chefe do departamento jurídico da ABRAPES.

A ABRAPES é uma das patrocinadoras da Semana do Pescado, que ocorre de 1o a 15 de setembro em todo o país.

NOTÍCIAS

 

 

Desenvolvido por Br3 comunicação.