top of page
Buscar
  • Foto do escritorSemana do Pescado

Lupion cita importância do pescado ao Brasil em evento de posse da Frente Mista Pesca Aquicultura

Presidente da FPA entende que pescado brasileiro tem potencial para se destacar no mundo.

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Pedro Lupion (PP-PR), participou da cerimônia de posse da nova diretoria da Frente Parlamentar Mista da Pesca e Aquicultura, nesta terça-feira (11). O deputado federal Luiz Nishimori (PSD-PR) tomou posse na presidência da frente da pesca juntamente com a diretoria, que conta com o vice-presidente, Silvio Costa Filho (Republicanos – PE), e parlamentares de 14 estados para o biênio 2023-2024.


Na ocasião, o deputado Pedro Lupion desejou sucesso a Nishimori e toda a sua diretoria. Lupion destacou ainda a importância de o setor agropecuário caminhar junto com a aquicultura. “Precisamos aumentar a média de consumo e fazer com que nosso pescado chegue em todos os cantos do mundo”, frisou.


Lupion entende que para isso, o setor precisa de regulamentação do projeto de licenciamento ambiental, em tramitação no Congresso Nacional, e apoio a quem produz para fazer esse mercado cada vez maior e mais importante. “Eu não consigo separar a atividade produtiva com a atividade de pescados, todas merecem atenção porque geram oportunidades para as pessoas e são atividades econômicas importantes,” ressaltou.


A aquicultura está em crescimento não só no Brasil, mas em vários outros países. Pesquisas mostram que a produção global de pescados no país atingiu o recorde de 214 milhões de toneladas em 2020, mesmo com os impactos da pandemia de Covid-19.


Presidente da Frente da Pesca, deputado federal Luiz Nishimori (PSD/PR): “Nossos esforços estarão concentrados em ouvir o setor e entender quais são as prioridades para o momento” – Fotos: Divulgação/FPA


O presidente da Frente da Pesca, deputado federal Luiz Nishimori (PSD/PR), ressaltou que a prioridade do grupo é apresentar uma agenda positiva como abertura de novos mercados, inclusão de pescados na merenda escolar, entre outros produtos do setor que serão prioridades dentro do Congresso Nacional. Segundo o parlamentar, é preciso que o Governo Federal veja o setor com a grandiosidade que ele realmente tem e merece. “Existem pautas urgentes que estão paradas no Congresso. Nossos esforços estarão concentrados em ouvir o setor e entender quais são as prioridades para o momento”, disse o deputado.


O ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula, ressaltou a importância do setor de pescados para a economia do país. “O nosso partido é a pesca e a aquicultura, é isso que nos motiva a continuar lutando pelo Brasil,” disse.


Ministro da Pesca e Aquicultura, André de Paula: “Nós vamos buscar no Congresso Nacional, com o apoio dessa frente e da FPA, uma recomposição do orçamento a altura da nossa importância para trabalharmos os projetos importantes para o setor de pescados”


André de Paula frisou ainda que uma das metas da pasta é aumentar o orçamento para o setor de pescados. “Nós vamos buscar no Congresso Nacional, com o apoio dessa frente e da FPA, uma recomposição do orçamento a altura da nossa importância para trabalharmos os projetos importantes para o setor de pescados”, enfatizou.


Eduardo Lobo, presidente da Câmara Setorial da Produção e Indústria de Pescados e da Associação Brasileira das Indústrias de Pescados (Abipesca), afirmou que a união da Frente com as lideranças do setor é imprescindível para o sucesso dos trabalhos no Congresso Nacional.


Presidente da Abipesca, Eduardo Lobo: “Temos mais de 500 espécies de pescados e somos mais de 100 mil pescadores espalhados no país”


“Temos mais de 500 espécies de pescados e somos mais de 100 mil pescadores espalhados no país, desde o pequeno produtor até o grande produtor que precisam de incentivo para continuar produzindo”, pontuou.


Setor de pescados O Brasil possui a maior reserva de água doce do mundo (13% do total mundial), mais de 8.500 km² de costa marítima, 10 milhões de águas continentais para produção e 4,5 milhões de km² de Zona Econômica Exclusiva.

Um perfil que contribuiu para os números impressionantes alcançados nos últimos anos. No comparativo com 2021, o setor fechou o ano passado com um crescimento superior a 15% em valores negociados.

De janeiro a dezembro de 2022, os embarques para o exterior foram responsáveis por gerar US$ 23,8 milhões em receita cambial.


Fonte: Assessoria FPA

1 visualização0 comentário

Comments


bottom of page